Mensagens

Acidentalmente fariseu?

Subtítulo: A Religião de Deus e a Religião do Fariseu

Naquele tempo passou Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas, e a comer. E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado. Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes? Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor (Mateus 12:1-8).

Jesus responde aos fariseus confrontando a maneira extremamente superficial com que eles lidavam com a Lei e com a vida religiosa. Eles olhavam tanto para as minúcias, estavam sempre na zona periférica, que negligenciavam a essência do mandamento. Ele mostrou que o conceito de sagrado deles era profundamente afetado e profano, pois banalizava a vida e as necessidades humanas dela decorrente, coisa que Deus jamais fez ou ordenou.

É por isso que esse espírito fariseu vê a vida como um ritual que jamais deve ser quebrado, e quem assim procede é duramente criticado ou castigado por Deus. Jesus ensina que a vida deve ser vivida com fé, para além dos aparentes desajustes que encontramos no caminho. O fariseu vê a Bíblia como uma cartilha cheia de regras de Deus. Mas Jesus apresenta que as Escrituras estão cheias de vida eterna, pois dão testemunho a respeito dEle, como delícias para a alma, luz para o caminho. Ele, o fariseu, vê dessa forma, pois só consegue enxergar o Senhor como um patrão exigente, dono de escravos. Agora, o Espírito de Jesus põe em nosso coração a certeza de que o Senhor é nosso Pai, e com a boca clamamos: “Aba”.

CegoO fariseu quer sempre honrar “o templo”, “o momento da oração”, “da oferta” e “da esmola”, mas seu coração está longe e sua vida não honra a Deus e nem mesmo pode fazê-lo. Até quanto ao juízo de Deus ele só consegue tratar o transgressor como condenado, culpado. Mas Jesus diz que primeiro vem a misericórdia. E o juízo é luz para que não andemos mais nas trevas, para que o pecador tenha temor de ofender a um Deus tão misericordioso. O que ele fatalmente é incapaz de aprender é que o que ele vê de reprovável nos outros pode ser um reflexo dele mesmo. Não consegue discernir a si mesmo vendo aqueles que são seus semelhantes.

Se rapidamente nos identificamos com o outro que não o fariseu, então devemos considerar melhor, pois isto já é sinal do espírito farisaico de achar que “o inferno são os outros” e nós somos os bonzinhos. O outro, só Jesus é capaz. Só Ele é bom o suficiente. É por isso que precisamos dEle; de viver não apenas como pessoas que creem no Senhor, mas que de fato O seguem.

Só Ele pode nos livrar da perversa religião superficial, dura, insensível e descompromissada com Deus e com o próximo; somente Ele nos faz sábios para o bem. Para obedecê-lO cheios de alegria e gratidão em nosso viver diário. Que o Senhor nos abençoe e encha nossas almas de arrependimento. Que nos converta todos os dias para andarmos pela seara do mundo e aprendermos com Ele a exercer misericórdia.

Anúncios

Um comentário em “Acidentalmente fariseu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s