Estudos Bíblicos

As Parábolas do Senhor – parte 2

  • Qual o propósito das parábolas?

Jesus aplicou as parábolas de acordo com a capacidade dos ouvintes. Isso não exclui o fato de que por vezes ele usava para confrontar ou provar os seus ouvintes, como os líderes de Israel, bem como aqueles que se propunham a segui-lo. Com elas, basicamente, ele propunha ensinar as verdades do Reino dos Céus; experimentar a disposição de seus ouvintes; chamar a uma resposta e ação de acordo com o que a verdade indica.

No entanto, quando acompanhamos o ensino por parábolas, vemos que mesmo os seus discípulos não as compreendiam, a menos que o Senhor os ensinasse. Então – podemos questionar – se o Mestre ensinava as verdades do Reino dos céus, fazê-lo por meio de enigmas não ocultaria o sentido do que dizia ao invés de revelar, e isso até mesmo àqueles que estavam sempre com ele? Não há problema algum fazermos essa pergunta. Na realidade, essa pergunta nos levará ao motivo pelo qual o Senhor usou parábolas.

  • Por que Jesus ensinou por parábolas?

Mateus 13:10-15, 34-35 nos dá parte dessa resposta. Esse capítulo introduz um ensino de Jesus diferente daquele do monte (cap.5-7). O contexto, o texto paralelo de Marcos 4 revela a incredulidade do povo, até mesmo dos seus próprios familiares e conhecidos. Esse é o mesmo caso relativo à aplicação da Escritura em Isaías que o Senhor faz (vs.14-15).

O contexto do texto aplicado também se relaciona com a incredulidade. Isaías denunciou isso (“Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?). Isto é, quem poderá receber uma mensagem como esta? Quem inclinará o coração para entendê-la, ser convertido e curado? Jesus denunciou e aplicou o cumprimento da Escritura aos ouvintes de sua época. Ele é o Messias, quem está crendo em sua mensagem? Ele costumava dizer ao final ou ao início: “Quem tem ouvidos, ouça”. Mas o que ficou provado foi que “o pior cego, é aquele que não quer ver”.

As pessoas resistiram à verdade. Jesus veio para anunciar a verdade, não encobri-la. Isto também está registrado na Escritura e Mateus faz essa citação: “para que se cumprisse o que fora dito por meio do profeta: ‘Abrirei em parábolas a minha boca; publicarei coisas ocultas desde a criação do mundo’” (Asafe, Salmo 78:2 citado por Mateus 13:35).

A verdade é que as parábolas não ocultam, mas publicam. Mas, por que elas nãos estão sendo compreendidas? Pela razão de que elas apelam à fé e não apenas à compreensão. Embora fossem compreendidas, não eram cridas nem obedecidas. O Salmo 78 vai falar sobre as verdades que os antepassados israelitas tiveram acesso. Verdades que foram passadas de geração em geração, mas por causa da incredulidade essas verdades foram rejeitadas pela maioria deles (Hb.3:15-19), embora houvessem provado, visto e ouvido os sinais e a palavra de Deus.

Se a verdade não basta, então coisa alguma bastará a não ser que o homem se converta. A parábola do semeador é explicada pelo Senhor neste mesmo sentido: a palavra da verdade (o Evangelho) é anunciada, mas encontra diferentes tipos de pessoas, algumas totalmente indispostas a ouvir, outras ouvem, mas não se firmam, há ainda outras que não perseveram, e finalmente as que ouvem, guardam e produzem fruto.

Vemos, pois, que antigas verdades encontram antigas barreiras (ler Mt.13:52). E isso se aplica a qualquer época. Não há outro meio de agradar a Deus, nem mesmo de conhecê-lo a não ser por meio da fé em Cristo, no Evangelho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s